Máis vistas

Ámago / Mágoa

REF.:978-84-89803-91-6
9,00€

Dispoñibilidade: Dispoñible

Details:

O sentido deste (prólogo) nom é outro que convidar o leitor para que leia as partes escritas e as partes nom escritas do livro, e se percebe que o texto e essa massa branca que o rodeia encaixam perfeitamente, como um molde e a sua escultura, será porque está a ler poesia, sublime poesia.

Información adicional

Ano 2002
Nº de páxinas 136
ISBN 978-84-89803-91-6
Autoría Barbosa Álvares, José Manuel e Brâs, Roi

Detalles

Os poetas deixam-nos todo esse espaço em branco para que nele leiamos todas as cousas que o poema diz e que nom estão escritas. Por isso devemos concluir que, apesar de que, com efeito, podemos considerar a poesia, de um ponto de vista tipográfico, se comporta como sólido, nom deixa de apresentar certas qualidades gasosas, como essa capacidade de se espargir até encher todo o recipiente. Poderíamos entom precisar melhor dizendo que a poesía é, tipograficamente, um sólido que se evapora por si própio.

O sentido deste prólogo nom é outro que convidar o leitor para que leia as partes escritas e as partes nom escritas do livro, e se percebe que o texto e essa massa branca que o rodeia encaixam perfeitamente, como um molde e a sua escultura, será porque está a ler poesia, sublime poesia.

Do Prólogo:

João Guisan Seixas

Sós, no caminho

cara o nosso destino;

o noso rumo está

no alto do cúmio

ou no mar.

...

de "Cançom do povo caminhante" (Ámago)

...

Inverno máis que néboa

liberdade baixo as lendas,

na terra longa paz cortante.

e pobos calados sen motivo.

de "Inverno e dor" (Mágoa)